All posts by Adriana Delgado

Menina alfacinha com uma costela transmontana, Adriana divide actualmente o tempo entre o Mestrado em Estudos sobre as Mulheres e o activismo pela REDE, depois de uma experiência em arquitectura que prefere esquecer. Feminista até ao tutano, já não consegue ver um filme nem ouvir uma música sem se indignar com o patriarcado. Esta cinéfila de gostos obsoletos já foi metaleira e ainda tem uma headbanger escondida por detrás dos óculos e do cabelo descontrolado.

O Clítoris vai ao Indie: The Punk Singer

Iniciamos a nossa série de críticas a filmes exibidos no IndieLisboa com The Punk Singer, o documentário de Sini Anderson sobre Kathleen Hannah, a vocalista dxs Bikini Kill e das Le Tigre e uma das impulsionadoras do movimento Riot Grrl. Continue reading O Clítoris vai ao Indie: The Punk Singer

10 Filmes a não perder no IndieLisboa ’14

Na véspera dos 40 anos do 25 de Abril começou mais uma edição do IndieLisboa, o festival de cinema independente.

Não sendo um festival particularmente voltado para as questões de género, a programação não deixa de incluir propostas que todx x feminista que se preze terá de registar na agenda! Para vos poupar trabalho, e também para que não tenham desculpas para não ir, deixamos aqui a nossa sugestão dos 10 filmes que não podem perder: Continue reading 10 Filmes a não perder no IndieLisboa ’14

Festa do Cinema Italiano: Via Castellana Bandiera

Escrito e realizado pela aclamada encenadora siciliana Emma Dante, Via Castellana Bandiera, a sua primeira experiência cinematográfica, é um duelo psicológico entre duas mulheres que deixa transparecer a origem teatral da realizadora. Continue reading Festa do Cinema Italiano: Via Castellana Bandiera

O Clítoris da Razão #33 – Notícias

No programa desta semana voltamos a olhar para notícias, mais precisamente para a aprovação em parlamento de um referendo sobre a co-adoção e a adoção. Com uma notícia destas, já quase nem valia a pena comentar mais notícias, mas ainda tivemos tempo de dar um pulinho a Espanha para comprovar como a nova lei do aborto pode bem ter sido um tiro no pé da parte do Governo de Rajoy e do nosso Falo de Latão, Gallardon (ou, como passará a ser conhecido entre as hostes clitorianas, “Glande-ardón”)

O Clítoris da Razão #33 – Notícias by O Clítoris Da Razão on Mixcloud

O Clítoris da Razão #30 – Há uma Diferença entre um Porco e um Javali

Às vezes a ciência abre-nos os olhos para verdades profundas…
…outras vezes sai disparate. E porque nós não gostamos de deixar nada de fora nesta nossa demanda de levar o feminismo a todo o lado, vestimos a bata, pusemos um tubo de ensaio no bolso, e imbuímo-nos em espírito científico para encontrarmos explicações para questões desconcertantes como: “Porque é que os homens gostam de azul?”
Não explicamos o título do programa, porque queremos manter o mistério.

O Clítoris da Razão #30 – Há uma Diferença entre um Porco e um Javali by O Clítoris Da Razão on Mixcloud

O Clítoris da Razão #28 – Notícias

Na semana em que Miley Cirus se auto-proclama a maior feminista do mundo, ainda conseguimos arranjar tempo para debatermos notícias menos relevantes como a adopção do teste de Bechdel por alguns cinemas na Suécia, o levantamento da proibição do hijab no parlamento turco e a criação providencial de novos cintos de castidade para prevenir violações.

O Clítoris da Razão #28 – Notícias by O Clítoris Da Razão on Mixcloud

O Clítoris da Razão #25 – Escritoras

Alice Munro é a laureada do Prémio Nobel da Literatura em 2013 e o Clítoris da Razão aproveita esta deixa para falar daquela que Joyce chamava a arte superior. Excepcionalmente, transformamo-nos em concurso radiofónico, e passamos uma grande vergonha…

O Clítoris da Razão #25 – Escritoras by O Clítoris Da Razão on Mixcloud

Hip Hop, Sexismo e Feminismo

Há aspectos do hip hop que surgem como continuação da exploração colonialista a que o corpo da mulher africana foi sujeito, e tem sido diversas vezes acusado de misógino, não só pelos termos derrogatórios com que as mulheres são frequentemente designadas (hoesbitches) mas também pelas representações da mulher em que as letras muitas vezes recaiem: a loca hipersexual , a baby momma , a guetto bitch. Continue reading Hip Hop, Sexismo e Feminismo