All posts by Marta Guerreiro

20 anos, actualmente emigrada em Londres na procura de futuro académico mas também na procura da possibilidade de liberdade social. Amante da escrita. Activista e feminista.

Sou feminista e quero ser Mãe

A sociedade espera da Mulher a reprodução. Devemos ser Mães antes de sermos Mulheres. Na verdade somos tudo antes de sermos Mulheres porque ser Mulher não chega.

Continue reading Sou feminista e quero ser Mãe

Leva-me o útero. Deixa-me a alma.

Está a acontecer uma enorme falta de valores. Não que não estivesse a acontecer antes mas neste momento é fácil termos mais contacto com ela. Não quero escrever isto de uma forma jornalística e/ou informativa. Quero escrever isto revoltada, emocionada e sensibilizada. Que as minhas palavras sejam as palavras de uma Mulher – uma ex vítima e uma actual sobrevivente.

Continue reading Leva-me o útero. Deixa-me a alma.

A minha pele, as minhas tatuagens

O meu corpo de Mulher já é geralmente um convite para comentários e olhares que me deixam desconfortável. A minha indumentária – seja ela qual for – já é geralmente um convite para comentários e olhares que me deixam desconfortável. A minha personalidade e a minha necessidade de dizer o que tenho a dizer já é geralmente um convite para comentários e olhares que me deixam desconfortável. O facto de pintar o cabelo já é geralmente um convite para comentários e olhares que me deixam desconfortável. As minhas tatuagens expostas – são a cereja no topo do bolo patriarcal, que me fazem querer explodir com todos os pressupostos e estereótipos sociais.

Continue reading A minha pele, as minhas tatuagens

Todas as formas de se ser Mãe

Achei que seria bonito e de igual forma mais prático procurar artigos que demonstrassem que existem Mães fora da heteronormatividade e monogamia. Simplificaria a minha escrita e tornava a argumentação de mais fácil acesso. No entanto não me parece que seja eficaz procurar provas para quem desconhece o que a sociedade exige visto que elas estão – se não estão, deviam estar – à vista de todxs. Mais cego é aquelx que não quer ver, já se ouve dizer. Continue reading Todas as formas de se ser Mãe