Clítoris da Razão #17 – Mulheres Realizadoras

Aqui no Clítoris gostamos de arte, particularmente de arte feminista, e se já tínhamos falado de música, ainda não tínhamos voltado a nossa atenção para a sétima arte. A realizadora Raquel Freire é nossa convidada esta semana para nos falar sobre a situação das mulher no meio da realização.

O Clítoris da Razão #17 – Mulheres Realizadoras by O Clítoris Da Razão on Mixcloud

O Clítoris da Razão #16 – Mulheres Imigrantes

As mulheres imigrantes, infelizmente, são um dos segmentos da população mais descurados. Para esta emissão convidámos Magdala de Gusmão, Presidente da ComuniDária, uma associação situada em Lisboa que trabalha com mulheres imigrantes, procurando apoiar e formar estas mulheres. Qual o seu perfil, que desafios e soluções? Algumas das perguntas a que a nossa convidada, muito simpaticamente, respondeu.

 

O Clítoris da Razão #16 – Mulheres Migrantes by O Clítoris Da Razão on Mixcloud

O Clítoris da Razão #15 – Feminismo e Femismo

Há ideias muito erradas sobre o que é o feminismo. Apesar de todas as suas nuances, o feminismo, enquanto filosofia, política e ideia sempre defendeu a igualdade de género, não a superioridade de um em especifico. Para quem não sabe, à filosofia que defende a superioridade da mulher ao homem é chamada de femismo, uma imagem residual na História da luta pela igualdade de género, mesmo tendo a sua importancia como contra-cultura.

O Clítoris da Razão #15 – Feminismo e Femismo by O Clítoris Da Razão on Mixcloud

Fica o teaser, para vos deixar a pensar…

O Clítoris da Razão #14 – Activismo Online

Clítoris está imparável na sua busca de conhecimento fora do núcleo duro, e esta semana traz-vos mais um convidado: David Pinto, a cabeça por detrás das Bichas Cobardes, que veio ao estúdio trocar dois dedos de conversa conosco sobre as novas possibilidades que a internet abriu ao activismo.

O Clítoris da Razão #14 – Activismo Online by O Clítoris Da Razão on Mixcloud

Para xs que não foram seduzidxs pela aliciante descrição do programa, fica o teaser:

Hip Hop, Sexismo e Feminismo

Há aspectos do hip hop que surgem como continuação da exploração colonialista a que o corpo da mulher africana foi sujeito, e tem sido diversas vezes acusado de misógino, não só pelos termos derrogatórios com que as mulheres são frequentemente designadas (hoesbitches) mas também pelas representações da mulher em que as letras muitas vezes recaiem: a loca hipersexual , a baby momma , a guetto bitch. Continue reading Hip Hop, Sexismo e Feminismo