Campanha DOVE age

De Uma Certa Idade

Numa era em que a beleza é considerada um valor imperativo, principalmente para as mulheres, certos padrões são impostos e as características de um corpo envelhecido não são um deles. No entanto, envelhecer não tem de significar a perda de qualidades, beleza, sensualidade e sexualidade.

Há cerca de dois anos atrás, a actriz brasileira Betty Faria, com 72 anos, foi fotografada na praia em bikini. Esta situação poderia não ter nada especial se a actriz não tivesse sido insultada nas redes sociais. E porque é que foi insultada? Porque se achou que foi uma “falta de bom senso” e que “uma senhora de 72 anos deveria ter mais dignidade” e, portanto, não usar um bikini. O policiamento do corpo envelhecido de Betty Faria não foi uma situação única, visto que muitas outras pessoas, em grande parte, mulheres, celebridades ou não, passam pelo mesmo.

betty-faria-72-anos-de-idade-2013
A actriz brasileira Betty Faria, com 72 anos, na praia de bikini

A repulsa que outrxs sentem pelo corpo de uma mulher “de uma certa idade” faz com que ela própria não se sinta confortável na sua pele e que lute com unhas e dentes contra o passar dos anos.

Ser-se belx prende-se, essencialmente, com o ser-se jovem visto que a maioria das sociedades, principalmente as ocidentais, relacionam a felicidade e a beleza com a juventude. Os ideais de beleza, que podem ser um valor fundamental principalmente para a Mulher, vão para além das mudanças no corpo – elx tem de permanecer jovem e bonitx para sempre. Não é aceitável, nem tolerável, alguém feix, e este facto é-nos apresentado pelas inúmeras imagens comercializadas, publicidade e indústrias da moda e da cosmética. Toda a imagética e o imaginário de alguém velhx e bonitx não é permitido e, quando ambos estão em sintonia, é porque, aos olhos da sociedade normativa, essa pessoa parece mais jovem do que realmente é.

00f84dcfbb8d7f282385f985067076ed1fd5e155-810x1080
A actriz norte-americana Cindy Crawford, com 49 anos, numa fotografia sem Photoshop onde mostra a barriga depois de duas gestações.

Para a escritora americana Susan Sontag, no seu artigo “The Double Standarts Of Aging” (PDF), “envelhecer é muito mais um julgamento social do que uma eventualidade biológica”. Inevitavelmente, os corpos mudam à medida que se envelhece: a pele perde tom e elasticidade, o cabelo vai ficando grisalho e, no caso das pessoas com útero, o papel social ligado à maternidade chega ao fim com a vinda da menopausa. Então, para a Mulher, envelhecer representa a perda da beleza e sensualidade, que lhe atribuíram valor enquanto jovem, mas também da sua sexualidade. A sexualidade de umx Mulher velhx é, muitas vezes, vista com repulsa pelo facto de se pensar que o corpo perdeu a sua validade e que agora, que já se tem “uma certa idade”, não pode ser mostrado, visto, apreciado e/ou venerado.

Jacky OShaughnessy - American Apparel
A modelo Jacky O’Shaughnessy, com 62 anos, numa campanha da marca American Aparell cujo lema foi “A sensualidade não tem data de validade”.

Estas normas sociais, que fazem as pessoas pensar de uma dada maneira, reforçam estruturas de poder e dominação masculina. Sentir repulsa do corpo velho de uma mulher é reforçar estruturas de opressão feminina. A depreciação do valor de uma Mulher “de uma certa idade ” enquanto ser humano em função do seu corpo é reforçar uma visão da Mulher apropriada e objectificada.

O que vale é que estas normas, apesar de persistirem na sociedade e residirem nas mentalidades de cada umx, podem ser desobedecidas. Deixem-se envelhecer, sem embaraço. Abracem os corpos e mostrem as vidas que viveram. Sejam felizes.  

Margarida Henrique

Margarida Henrique

Margarida Henrique nasceu em 1994 e vive em Mafra. Desde cedo que se admite como feminista, lutando contra o preconceito e as convenções sociais através da sensibilização e “invadindo o mundo masculino” do desporto com a prática de Capoeira. É também apaixonada pela Cultura e pelo mundo das Artes (performance, música e literatura), tentado sempre olhar para lá do que se vê. Actualmente estuda Comunicação e Cultura na Faculdade de Letras.
Margarida Henrique

Latest posts by Margarida Henrique (see all)

44 thoughts on “De Uma Certa Idade”

  1. Estou com 55 anos e, sem demagogia, esta é minha melhor idade, minha melhor fase. Encontrei um tesouro inestimável dentro de mim, amo minha companhia, amo ter tempo para mim agora, amo poder fazer o que quero, da maneira e no momento que eu quero. Me sinto completa, satisfeita, descansada, parece que voltei pra casa, tudo está bem, agora vou descansar e curtir tudo que a vida me apresentar. Um dia de cada vez.

    1. Ótimo!
      Tenho a mesma idade e me identifico plenamente com o que diz!
      Sou livre e feliz, ainda sem rugas mas que venham pois irão ser recebidas com muito amor e respeito!
      Bjs com carinho!
      Karla

  2. Caraca, que texto lindo e profundo!!! Super compartilhado. Vamos viver sem os padrões impostos pela sociedade. Ser livre é a coisa mais linda!

    1. Nuno querido,
      Adorei o seu post, mas vou te contar um segredo…
      Mulher não precisa de Viagra, precisa de carinho e química…..
      Um homem escolhido e que sabe o que faz, admira, compartilha e gentil e tem pegada enlouquece uma mulher na cama.
      Pra nós não é a idade que interessa.
      É saber lidar e ter orgulho do corpo…. Ter aprendido e ser sábia.
      Experiência Própria…

      1. É verdade, precisamos de alguém que nos dê atenção e prazer sem preconceitos nem falsos moralismos.
        Quando ouço dizer”Quem me dera ter 20 anos e saber o que sei hoje.” respondo não! Sinto-me muito bem na minha pele com 47 anos, adoro esta fase da minha vida e sinto que o melhor está para vir.

  3. Adorei a reportagem! É fundamental que se fale sobre a coisificação da mulher. Esta cobrança pelo corpo perfeito e por evitar algo inevitável, que é o envelhecimento do corpo, da pele, dos cabelos, da voz… Esta cobrança é covarde! Envelhecemos. Envelheceremos. Vamos ver a beleza além da sabedoria conquistada com o passar dos anos. Também há beleza física. Não nos permitem enxergar esta beleza, mas ela está lá. Exatamente onde estaremos um dia.

    1. Olá Sergio,
      Nós baseamos a nossa grafia na norma portuguesa, tendo em conta que nós somos de Portugal.
      Em Portugal esta é forma correcta de o dizer e escrever.

      Obrigado pela nota 😉

        1. Essa pessoa só viu que faltou o acento, nao viu, nao se interessou realmente pelo conteúdo da reportagem…

    2. Olá amigo Sergio!!!!
      Até é válida sua observação, mas no momento é irrelevante. Na verdade o que importa é o conteúdo, isso sim estamos interessadas, sempre é melhor procurar a essência, tanto nos textos quanto nas pessoas.

  4. “E porque é que foi insultada?” Esse “porque” não é separado? Rsrs. Mas o texto é ótimo, faz uma excelente reflexão sobre o conceito de beleza. Discordo apenas dos argumentos relativos a dominação masculina. A discriminação atende mais a padrões sociais estabelecidos, de consumo, culturais, ideológicos, dentre outros, e não apenas a destacada pela autora.

  5. Margarida, gostei bastante do seu textos. Essas questões precisam ser discutidas com urgência na mídia, de um modo geral. Começar por essa desnaturalização das relações e discursos que negam a velhice é um passo fundamental. Parabéns.

  6. Excelente e muito lúcido seu raciocínio. Eu, homem, já passei dos 50 (51) e minha esposa tem a mesma idade que eu. As pessoas se chocam com o simples fato de eu querer comprar um tênis da mark X e uma calça da marca Y porque “isso é coisa pra jovem”. Pois bem, um sábio brasileiro, Juca Chaves, disse que ser jovem é saber envelhecer… Eu teria muito a dizer, especialmente quando se fala da sociedade normativa (a maior e mais ingrata de todas as ditadoras) que _determina_, arbitrariamente, com base em dermarcadores numéricos, o que é velho e o que é jovem… Enfim… Prefiro brindar-te com um trabalho de um grupo de estudantes que fez um belíssimo trabalho.
    Abraços

    Cau
    [youtube=https://www.youtube.com/watch?v=mw7DbjNMEcQ]

    1. No caso e no caso da minha amada temos um problema dos pio’
      Eu to com 91
      Ela 76
      E sacanagem e’ que nem meu pai nem os pais dela dexam
      “Jovens de mais”
      Eta gente mais precoceituda !!!!

    1. Olá Mónica,
      O uso do x nos nossos artigos é uma forma de contornar o facto de a lingua portuguesa ser uma lingua que se baseia num binarismo de género que é excludente das pessoas que não cabem dentro desse binário.

      Não é uma forma perfeita, mas é uma decisão de começar a desconstruir algumas normas que excluem, mesmo que linguisticamente, pessoas que raramente são reconhecidas, por terem identidades não-normativas.

      Agradecemos contudo o seu comentário relativo à qualidade do artigo, assim como agradecemos a crítica, válida e construtiva, da escolha do uso do x e de linguagem neutra.

      Cumprimentos,
      Tiago – Editor d’ O Clítoris da Razão

  7. Amei o texto.
    Dialogou muito comigo.
    Tenho 52 anos e vivo hj uma das melhores fases da minha vida. Pois a sabedoria que ganhamos com a maturidade é fantástica.
    Quebramos paradigmas, conceitos e convenções sociais.
    Mim permito hoje viver plenamente, degustando cada minuto, cada dia e cada momento da minha vida.
    Já não mim importa o amanhã. Vivo hoje sem pressa e assim vou mim permitindo ser feliz do meu jeito.n

  8. Tenho 48 de idade e está idade é incrível,pois agora consigo agir e viver da forma q eu quero, sem julgar ninguém, mas o que não quero ser é “ridícula” para mim todos tem o motivo de fazerem e agirem da maneira q quiserem, portanto eu sei o que Eu quero Viver.

  9. Pessoal! Vamos nos apegar ao texto! E ler e sentir o que ele quer nos passar. A grafia é o que menos importa . Vamos fazer do conteúdo uma análise para a sociedade machista , onde o homem esquece que envelhece também. Por quê só nos mulheres temos que nos cuidar? Tem tanto homem esculhambado por aí se achando o máximo. Nós mulheres e que temos que nos valorizar. Somos as parideiras destes seres que quando se tornam adultos se acham no direito de desfazer do Ser mais lindo e complexo que Deus criou. Vamos educar nossos meninos para serem mais gentis e amarem mais suas esposas e as possíveis mulheres que possam vir a conhecer. Acredite! Somos lindas! Em todas as idades.

  10. Adorei o artigo! Gostei muito também de conhecer a explicação para o uso do “x”.
    Parabéns a Margarida Henrique! Gostaria de confirmar a informação de que ela tem apenas 22 anos, pois isso me deixa muito impressionada com sua lucidez e a maturidade que apresenta nas ideias e na escrita.
    Sucesso!

  11. Olá, boa tarde!
    Gostei do texto! Concordo com todas as colocações escritas, no entanto, faltou um detalhe. O fator financeiro é muito importante para que se chegue bela aos 62 anos como a modelo citada. Ter grana para uma boa, rica e proteica alimentação é fundamental, bem como o uso de ótimos e (caríssimos) cremes, bem como outros tratamentos rejuvenescedores. Se eu tivesse grana não estaria assim, como estou hoje aos 60 anos.

  12. para alguém nascido em 1994, esse ost chamou-me a atenção.
    é que me lembrei que os conceitos de BELEZA (junto com os de) AMOR e JUSTIÇA são o tripé básico da República de Platão .. um interage com o ouro e todos não tem um prazo de validade marcada … aliás, a BELEZA, dos três, além de ser fundamental para a formatação da ÉTCA, é o que mais se avoluma com o tempo!

  13. Penso que a mulher até pode ser mais sacrificada nesse julgamento, mas o preconceito está fortemente relacionado ao velho, em sua forma mais ampla, e não somente à mulher. Vivemos uma era da descartabilidade…

  14. Adorei o texto e me vi nesta situação, tenho 54 anos e sempre fui muito vistosa e magra, hoje adquiri um certo peso a mais, e algumas rugas. Além de eu ter que me adaptar com a chegada rápida de toda esta mudança, percebo que a sociedade de uma forma geral vive contra as regras da vida. Cada idade tem sua beleza e, a transformação tanto interior como exterior é inevitável ….isso realmente não é tão confortável como parece nas propagandas, mas faz parte de um ciclo para quem está vivo.

  15. Idade são apenas números que adquirimos no decorrer da vida…o importante é ser feliz,porque o cérebro não cria rugas,rugas significa sabedorias dádiva de Deus.Bora ser feliz,faça o que sinta bem ,poisa a vida passa rápido. Deus deu a cada um uma vida,então cada um cuide da sua.Felicidade é vida e somos reflexo da felicidade.?

  16. Amei o texto, mas é preciso que a sociedade e o mercado da moda valorize seus idosos, que as agencias de propagandas valorize essas mulheres tão lindas e maravilhosas, pois a beleza esta no olhar de quem a admira e claro na mídia que à divulga. Discordo da Margareth sobre o financeiro que ajuda, tenho 57 anos e graças a Deus ainda recebo muito elogios, as pessoas assustam quando falo minha idade e nunca gastei com produtos baratos ou caros, acho que é uma questão de estar e se sentir bem física e espiritualmente, o que envelhece as pessoas é o mau humor. Conheço mulheres nova envelhecidas….Um dia na praia ouvi de um primo ” Nosso você não tem mais idade para usar shorts curto” respondi simplesmente…..idade não veste roupa e sim pessoas que sentem feliz em usa-las….

  17. Eu fiquei encantada com o olhar da ultima pessoa a direita para quem está olhando para o not, quem é? Embora todas sejam belas aquele olhar me capturou.

  18. Se queremos mudar os paradigmas sociais, quanto ao preconceito contra a pessoa idosa, devemos ser o exemplo. Fui advogada por mais de 20 anos e hoje aos 51 anos, resolvi dar uma virada, hoje sou terapeuta corporal tântrica, faço pós graduação em terapias sexuais, e tento desconstituir o tabu de que o idoso não se interessa e nem faz sexo. Assumo meu corpo com todos os sinais da idade nele registrado e ouso ser modelo para cursos de massagem tântrica. Desenvolvi um projeto chamado: MeditANCIÃO, destinado ao púplico da chamada 3 idade. Tal projeto tem como principal objetivo fazer com que o idoso disperte para a sensibilidade e prazer do seu corpo sem culpa. [editado pela equipa de edição para remover contactos e publicidade]

  19. Gostei muito do artigo e me interessei pela autora (pela pequeno resumo da sua trajetória e porela trabalhar com temática da mulher na capoeira). Gostaria de entrar em contato com ela. Ora, os links indicados em Contatos não estão ativos. Vocês podem me dar o e-mail dela? Agradeço.

  20. A beleza, a juventude, e o prazer estão além de um corpo jovem. Estão, sim, na vitalidade interior que ilumina o ser.
    O amor por si mesmo é algo construído pela história interpessoal mãe-bebê que se inicia desde a vida uterina, e que quando perdido ou ferido pode ser resgatado através de experiências emocionais curativas.

  21. Que texto rico! Parabéns.
    Infelizmente a nossa cultura não ensina os homens a verem a beleza da mulher madura. Já li que se sentem inseguros diante da maturidade.
    Eu me sinto feliz por olhar para minha mulher de 50 e ver, sinceramente que está mais bonita que quando tinha 25.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *