O Clítoris da Razão

O Regresso do Clítoris: O projeto, xs criadorxs, os conteúdos 

Numa altura em que toda a equipa do Clítoris da Razão festeja o seu regresso, achei que faria todo o sentido (eu própria conhecer e) dar a conhecer – melhor – este projeto, criado e mantido com tanto carinho, desde o início, e ao longo destes anos, por todxs xs criadorxs e intervenientes. Para te dar a conhecer o que agora te apresento, entrevistei as três pessoas fundadoras deste projeto – A Adriana, a Catarina e o Tiago -, e ainda, uma das editoras, a Irina. Por isso, convido-te a acompanhares-me nesta “viagem” pelo universo clítoriano.

Como tudo começou…

O Clítoris da Razão é uma plataforma portuguesa feminista que te traz, mensalmente, os mais variados conteúdos, não só acerca do feminismo, mas do activismo em geral. Esta plataforma, foi criada por três amigxs: a Adriana, a Catarina e o Tiago, que ainda hoje cuidam deste projeto, como se de umx filhx se tratasse. A ideia surgiu num verão de 2012 como um programa de rádio, integrado na grelha da Rádio Zero, do Instituto Superior Técnico, onde estudava a Adriana. As tendências progressistas dxs três amigxs e a vontade de fazer algo pelo feminismo em Portugal (que, a bem dizer, já fazia falta!), aliadas à disponibilidade, foram os factores cruciais para a criação deste projecto, cuja primeira emissão foi para o ar em março de 2013 com o tema Dia da Mulher.

IMG 1

Segundo a Adriana, aquando da criação do Clítoris, “não havia em Portugal uma comunidade tão activa nem tão organizada de feministas online como a que agora há (…). Nós quisemos trazer o feminismo para as redes sociais, para a internet, usando uma linguagem mais acessível e mais jovem”. Para a Catarina, é importante passar a mensagem de que o Feminismo não é um bicho-de-sete-cabeças” (que não é!), residindo aí a importância d’O Clítoris da Razão para o movimento feminista.

O nome…

O nome provocador do projecto, foi o resultado de uma conversa entre a Catarina e o Tiago. Para o Tiago, a escolha foi “muito aleatória”, mas xs amigxs aliaram a criatividade a algo que passasse também uma ideia de debate e discussão responsável” (e conseguiram, certo?): daí surgiu o nosso querido Clítoris da Razão!

A passagem para magazine…

O interesse por parte de outras pessoas em relação ao projeto multiplicou-se com o tempo. Surgiram ideias, novas colaborações, e cada vez mais vontade de fazer mais e mais pelo feminismo e pelo activismo. O Clítoris da Razão expandiu-se para as redes sociais, onde os podcasts da Rádio Zero viriam a ser publicados. No entanto, diz o Tiago, que a emissão dos podcasts deixou de ser “praticável, tendo em conta a logística que exigia”. Surge então O Clítoris da Razão no seu formato actual (que hoje, felizmente, regressa): uma magazine online.

Os nossos conteúdos…

Como seguidorx assidux do nosso projeto, certamente conheces muito bem os nossos conteúdos. Mas se só agora nos segues, ficas a saber, agora, os tipos de temas que mais abordamos.

De acordo com o nosso Manifesto, O Clítoris tem então como principal objetivo desconstruir pré-conceitos, identificar discursos e formar consciências com humor e ironia, fazendo da inclusividade o nosso estandarte” (e, modéstia à parte, acho que cumprimos muito bem essa missão!).

IMG 3

Por isso, e fazendo jus à mensagem que pretendemos passar, O Clítoris da Razão apresenta, mensalmente, conteúdos que vão desde notícias, artigos de opinião, e até mesmo desabafos sobre feminismo – e outros assuntos que lhe são intrínsecos -, e temas ligados a discriminação, racismo, questões LGBTQIA, etc. Para teres uma ideia, podes dar uma vista de olhos na nossa última edição “Verão, Corpos e Feminismo”, sobre o policiamento do corpo durante os meses de verão, que contém ainda um conjunto de conselhos que têm como objetivo proporcionar-te algumas ferramentas para que aproveites o verão sem complexos com o teu corpo.

IMG 4

Apresentamos-te ainda, mensalmente, o Consultório de Civilidade para Meninxs, onde a Carmo Gê Pereira – educadora sexual para adultxs – quebra os tabus sexuais, e esclarece as tuas eventuais dúvidas.

E não te esqueças: com o Clítoris podes estar sempre atualizadx e a par das últimas notícias e da agenda do mundo do activismo.

O nosso querido projeto…

Tendo em conta os nossos conteúdos, O Clítoris representa para todxs nós, enquanto colaboradorxs, quase que uma “escola” em termos de aprendizagem feminista, um desafio. E que belo desafio! É por isso que, mensalmente, trabalhamos para te apresentarmos os nossos artigos, notícias, informações ou desabafos, e acredita que o fazemos com todo o gosto, empenho e dedicação.

O Clítoris da Razão e o Ativismo Online

Porque é que sites como o do Clítoris da Razão são essenciais? Bem, nós explicamos. Segundo o Tiago, sites como O Clítoris da Razão são essenciais para dar espaço e visibilidade a pessoas que normalmente não a têm”, e para a Irina – colaboradora e editora do projeto -, a internet e as redes sociais podem “contribuir com tudo”, no que se refere ao activismo, pois “de repente, pessoas sozinhas, com as mesmas preocupações e crenças podem conversar. Podem debater ideias, podem organizar-se. É melhor que qualquer sistema partidário, virtualmente toda a gente tem uma voz, pode expressar uma opinião”. Concordas?

Dá uma vista de olhos…

Bem, e feitas as apresentações, convido-te agora a passeares pelo nosso site, veres os nossos conteúdos, e dares uma vista de olhos na edição deste mês.

 

Filipa Bule

Filipa Bule

Nasceu em Lisboa em 1994. Estuda Comunicação Social, e sonha um dia vir a ser jornalista na área da música. Gosta de ler, de escrever, e não dispensa um bom álbum de Hard Rock. É inconformada, contestatária e feminista desde que se apercebeu que as questões de género não são uma brincadeira.
Filipa Bule

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *